DICAS PARA BAIXO ELÉTRICO

Postado por Daniel Souza sábado, janeiro 01, 2011

Em nosso lançamento em CD "Deus está no trono - Frutos do Espírito 7", a música "Filho da Luz" traz em destaque solos de baixo elétrico. Foram três baixistas improvisando: Juninho, Edvaldo (Campos, RJ) e eu.

Me dediquei durante alguns anos a estudar e tocar este interessante instrumento. Por isso, quero deixar um pequeno comentário para contribuir com o desenvolvimento de meus colegas baixistas.

O Baixo elétrico - por Daniel Souza.

O baixo é um instrumento muito interessante. Ele é imponente e traz um grande apoio à música.

O baixo faz parte dos instrumentos de base. Raramente ele é usado para solo.

Na linguagem musical dizemos que alguns instrumentos servem de chão (apoio). O baixo é um deles.

Quando o baixo é usado para improviso ou solos, é um grande evento, a ponto de ser necessário até a mudança na execução dos demais instrumentos.

O baixo elétrico sofreu diversas mudanças com o passar do tempo. Hoje, além do de 4, existem baixos de 5, 6 e até 8 cordas. Tudo depende da capacidade do músico e da proposta de seu trabalho.

A clave de Fá na quarta linha do pentagrama é usada para a notação musical (partitura) do baixo elétrico.

Apesar de alguns músicos usarem palhetas, o baixo é um instrumento executado, na maioria das vezes, com os dedos, mais especificamente o indicador e o anular. Chamamos esta execução de pizzicato.

Existem ainda outras técnicas interessantes, como slap, que consiste em bater nas cordas com o dedo polegar e puxá-las com o indicador.

Dicas:
Evite o excesso de notas. Especialize-se em ser um bom condutor;

Evite trabalhar nas regiões agudas. O baixo é um instrumento caracterizado por seu grave e seu peso. Seu timbre característico se faz necessário para o contexto musical;

Tenha interesse por instrumentos de percussão, como a bateria. O baixo, apesar de ser melódico, tem muita coisa a ver com percussão. O bumbo da bateria e o baixo devem estar “casados”. Geralmente, bateristas e baixistas mantém um bom relacionamento por causa de seus instrumentos;

Amplie seu conhecimento harmônico. Sem ele você será um baixista limitado e sujeito a dar muitas “notas na trave”. Creio ser necessário para o baixista tocar algum instrumento harmônico, como violão ou teclado, para que tenha uma “visão panorâmica” das músicas que executa ;

Estude com o apoio do metrônomo. Este objeto pode incomodar mas ninguém pode se considerar um músico quando “briga” com o metrônomo. Todo bom músico deve submissão a ele; o metrônomo sempre estará certo;

Quando pegar seu instrumento, faça um exercício (escala) ou toque uma canção. Tenha sempre algo sensato para praticar nele;

Cuide da manutenção de suas cordas. As cordas do baixo elétrico são muito caras, por isso, discipline-se a limpar com uma flanela todas as vezes que terminar de usar seu instrumento. O suor coopera para o desgaste precoce das cordas.
Outra dica importante é ferver as cordas em água e secá-las, quando estiverem bem envelhecidas. O brilho será devolvido ao som. Não durará muito tempo mas prolonga um pouco mais a vida das cordas.

Envie seu instrumento para revisão periodicamente. É necessário, pois, alguns componentes, como a ponte, influenciam na afinação do instrumento se estiverem desregulados.

Consagre seu instrumento a Deus. Ele é um “utensílio” para o culto ao Senhor. Tudo o que você é e tem deve existir para a glória de Deus.

No amor de Jesus, Daniel Souza.

3 comentários:

vinicius disse...

Olá Daniel ...

Boas dicas para os baixistas ...

É muito bom tocar com um baixista bem instruído, que dá o chão pro batera ... Eu sou baterista e bah, tem uns caras que bagunçam a parada ... rs ....

Abração mano ...

www.viniciussoares.wordpress.com

Daniel Souza disse...

Olá, Vinicius! Obrigado pelo comentário. Fico feliz em poder cooperar de alguma forma. Deus abençoe.

Daniel disse...

Olá Dani , dicas muito boas!!!

Agora só me falta o instrumento, hehe.

Até mais ver , Fique com Deus.

Postar um comentário

Obrigado por ler e comentar!